Ouvir rádio

Pausar rádio

Offline
PUBLICIDADE
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/e0b7a2219c85819b11f0f3aecd7c2547.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/42610458bf7e91ed3a7e9c3f54b50b32.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/e83591e691eb0b9734ef857bc42d941e.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/c8b8ee966cc27f3832faba07b443d2fc.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/56b1a78f770e79d04de8df971a4a6301.png
Eros e Ágape - As duas faces do amor
10/07/2024 09:05 em Comportamento

Por Rodrigo Oliveira

Bento XVI examina a natureza do amor humano e divino, e faz uma distinção importante entre dois tipos de amor: Eros e Ágape.

A sua encíclica, Deus caritas est, começa fazendo referência a Nietzsche, para o qual o cristianismo teria dado cicuta a eros.

Eros, para o Bento XVI, é o amor possessivo e desejante. Apesar de possuir uma dimensão legítima e necessária, sendo uma expressão fundamental da natureza humana, ele necessita de ser purificado e elevado. Se deixado em seu estado puramente natural, pode se tornar egoísta e degradar-se em mera satisfação de desejos.

De acordo com Bento, «são necessárias purificações e amadurecimentos, que passam também pela estrada da renúncia. Isto não é rejeição do eros, não é o seu ‹envenenamento›, mas a cura em ordem à sua verdadeira grandeza».

Por outro lado, Ágape é o amor oblativo e sacrificial, a partir do qual o ser humano se doa gratuitamente ao outro sem buscar nada em troca.

Este tipo de amor é característico do amor de Deus pela humanidade e deve servir como o maior dos modelos para o amor humano.

Bento XVI defende que Ágape é essencial para a transformação e purificação do Eros.

Desse modo, Eros, quando purificado por Ágape, tornar-se uma força que faz com que o ser humano transcenda o seu egoísmo e busque o bem do próximo.

Essa síntese, por sua vez, só é possível por meio da fé e da graça divina, que capacita os seres humanos a amar como Deus ama.

Eros sem Ágape é somente uma potência descontrolada que pode instrumentalizar o ser humano, fazendo dele uma mera fonte de satisfações dos desejos.

COMENTÁRIOS