Ouvir rádio

Pausar rádio

Offline
PUBLICIDADE
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/e0b7a2219c85819b11f0f3aecd7c2547.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/42610458bf7e91ed3a7e9c3f54b50b32.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/e83591e691eb0b9734ef857bc42d941e.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/c8b8ee966cc27f3832faba07b443d2fc.png
https://public-rf-upload.minhawebradio.net/214763/slider/56b1a78f770e79d04de8df971a4a6301.png
Máquina ideológica - O triste papel do TSE
08/07/2024 08:43 em Cidadania

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está estudando a implementação de uma campanha de combate ao que chama de "fake news" focada em eleitores com idade superior a 60 anos.

No dia 20 de junho, a presidente do tribunal, Cármen Lúcia, teve uma audiência com Patrícia Blanco, presidente do Instituto Palavra Aberta. Durante a reunião, as duas discutiram o projeto Educamídia 60+, focado na alfabetização digital de pessoas acima de 60 anos.

De acordo com a colunista da CNN Luísa Martins, há interesse da nova presidente do TSE em promover uma campanha do tipo em parceria com o instituto, e o Palavra Aberta produziria conteúdo para os canais oficiais do TSE.

O Palavra Aberta já colabora com o TSE em outros âmbitos. O instituto é, por exemplo, parceiro do Centro Integrado de Enfrentamento à Desinformação e Defesa da Democracia (Ciedde), uma espécie de polícia eleitoral criada pelo ex-presidente do TSE, Alexandre de Moraes, para agilizar a censura àquilo que o tribunal tem chamado de "fake news".

Nas eleições de 2022, o Palavra Aberta fez uma série de vídeos em que influenciadores idosos davam dicas a pessoas de sua faixa etária sobre o mundo digital. Entre os conteúdos, havia também uma cartilha específica sobre informação nas eleições.

No material, o instituto presta continência a agências de checagem como Aos Fatos, Lupa e Projeto Comprova, recomendando-as como fontes de versões fidedignas dos fatos, sem ponderar que elas não estão imunes ao enviesamento ideológico.

Fonte: Gazeta do Povo

COMENTÁRIOS